3 de dezembro de 2015

Artista nigeriano retrata o cotidiano em cores em mostra na Piaget

ANEXO-IV-Modelo-de-declaracao-de-isencao-de-imposto-de-renda

Até segunda-feira, dia 7, quem visitar o campus poderá apreciar o talento de Fatah Toromade por meio de suas telas e outras obras. É de graça!

A Faculdade Piaget sedia, até segunda-feira, dia 7, a exposição do artista plástico e professor nigeriano Fatah Toromade, que está no Brasil em intercâmbio cultural. Suzano é a segunda cidade no Brasil que exibe o talento do artista (a primeira foi a capital paulista no ano passado). A mostra tem entrada gratuita e é aberta para toda a comunidade.

No hall do prédio 7, o público encontra telas coloridas e outras obras que retratam o cotidiano da cultura Yoruba. As peças expostas fazem parte do intercâmbio cultural Brasil-Nigéria, que culminou com a vinda de Fatah Toromade e Oba Adeyemi Adediran, rei de Esa-Oke, em Osun, ao município. Eles chegaram ao País no dia 26/11 e estão hospedados em Mogi das Cruzes.

Estão reunidas na exposição obras em óleo sobre tela e nanquim, esculturas em fibra de vidro, vestimentas e outros adereços que mostram a beleza do cotidiano captada pelo talento de Fatah Toromade. O artista tem obras na Europa, nos Estados Unidos e na Ásia e tem a oportunidade de expor no Brasil pela segunda vez.

O intercâmbio foi intermediado pelo artista plástico nigeriano radicado em Mogi Kenneth Moses Ogungbemi e o convite partiu da Associação Paulista e Esporte, Cultura e Cidadania (APECC) e da Liga Municipal de Capoeira, com o objetivo de apresentarem a eles os trabalhos nas áreas de cultura, esporte e ação social realizados na cidade. A APECC mantém parceria com a Piaget para a realização de atividades culturais no campus, entre outras iniciativas.

Além de Suzano, os nigerianos visitaram a Associação Casarão da Mariquinha, no município mogiano, participaram de uma atividade em alusão à Consciência Negra em Guarulhos e de um evento na Câmara Municipal de São Paulo. No dia 5, visitarão o Consulado Nigeriano no Brasil. Todas as atividades objetivam trocas culturais, participações em eventos de cultura afro-brasileira e eventos que contribuam com o intercâmbio político e comercial entre Brasil e Nigéria.

A comitiva nigeriana havia visitado a Piaget na quarta-feira e desde então cogitava realizar a exposição. No campus, o rei nigeriano e o artista plástico eles foram recepcionados pelo diretor-geral da faculdade, Marcus Rodrigues, a diretora acadêmica Neide Feijó e o diretor administrativo e financeiro Jorge Kowalski Salvarani. Eles conheceram as instalações da Piaget e também conferiram a mostra “Congá”, em alusão à Consciência Negra, com obras da artista plástica Aline Baliberdin, que ficou em cartaz até quarta-feira.

Na ocasião, o diretor-geral da Piaget falou dos projetos futuros da faculdade, que inclui um intercâmbio com uma instituição africana para receber estudantes estrangeiros: “Estamos em fase de negociação, mas a ideia é abrir as portas para alunos de diversos países. Esta é uma das propostas em continuidade ao processo de internacionalização”, explicou Marcus Rodrigues aos visitantes.

O vereador e presidente da Comissão de Educação, Cultura, Esporte e Turismo da Câmara de Suzano, Walmir Pinto, que mantém esse contato com os nigerianos desde a época em que foi secretário de Cultura de Suzano, acompanhou a visita ao campus e a abertura da exposição de Toromade. (Com informações e texto também de Gisleine Zarbietti)

5