1 de dezembro de 2015

Piaget recebe visita de rei nigeriano e artista plástico

Intercâmbio com instituição africana para receber alunos estrangeiros está nos planos da Piaget, em continuidade ao processo de internacionalização

A Faculdade Piaget recebeu, na manhã desta terça, o rei nigeriano de Esa-Oke, em Osun, Oba Adeyemi Adediran e o artista plástico e professor da cultura tradicional Yoruba, Fatah Toromade. Eles estavam acompanhados do vereador Walmir Pinto, da artista plástica Aline Baliberdin e do artista plástico nigeriano radicado em Mogi, Kenneth Moses Ogungbemi. Os visitantes foram recepcionados no campus pelo diretor-geral da Piaget, Marcus Rodrigues, e a diretora acadêmica Neide Feijó.

O rei nigeriano e o artista plástico conheceram as instalações da Piaget, onde também conferiram a exposição “Congá”, em alusão à Consciência Negra, com obras de Aline Baliberdin. Na ocasião, o diretor-geral da Piaget falou dos projetos futuros da faculdade, que inclui um intercâmbio com uma instituição africana para receber estudantes estrangeiros: “Estamos em fase de negociação, mas a ideia é abrir as portas para alunos de diversos países. Esta é uma das propostas em continuidade ao processo de internacionalização”, explicou Marcus Rodrigues.

A visita dos nigerianos ao Brasil faz parte de um intercâmbio cultural que está sendo intermediado pelo artista plástico Kenneth Moses Ogungbemi. O convite foi feito pela Associação Paulista e Esporte, Cultura e Cidadania (APECC) e pela Liga Municipal de Capoeira, com o objetivo de apresentarem a eles os trabalhos nas áreas de cultura, esporte e ação social realizados na cidade.

Site 1

Walmir Pinto, que mantém esse contato com os nigerianos desde a época que ocupava a Secretaria de Cultura de Suzano, destacou o trabalho artístico de Fatah Toromade e planeja para os próximos dias uma exposição com as obras produzidas pelo professor de Yoruba: “Ele tem um trabalho muito interessante que envolve as artes plásticas como um todo. Além de telas e esculturas, produz vestimentas, miçangas e outros adereços. A intenção é expor essas peças para que a população tenha acesso e contato com a cultura nigeriana”, disse. Os detalhes da exposição serão divulgados brevemente.

Além de Suzano, os nigerianos, que chegaram ao País na última quinta-feira (26/11) e estão hospedados em Mogi, visitaram a Associação Casarão da Mariquinha, no município mogiano, e participaram de uma atividade em alusão à Consciência Negra em Guarulhos.

No dia 5, eles visitarão o Consulado Nigeriano no Brasil. Todas as agendas objetivam trocas culturais, participações em eventos de cultura afro-brasileira e atividades que contribuam com o intercâmbio político e comercial entre Brasil e Nigéria.

(Colaboração: Gisleine Zarbietti – texto e fotos)

Site2